Todos os posts de feliciaguerreiro

Mulher trans, game designer, escritora e criadora do Felicia's Gaming Diary. Gosta de doces e de gatinhos.

Quantificando Aparências, Parte 2

Na primeira parte dessa matéria nós falamos sobre os problemas que sistemas sociais muito simples podem gerar em uma mesa de RPG, introduzimos a ideia de PdP (Pontos de Personagem), e falamos sobre como o atributo Aparência do sistema Storyteller não faz sentido nenhum.

Mas também dissemos que a edição de 20 anos de Vampiro: A Máscara consertou esse problema. Agora nós vamos falar dessa “resolução” criada na edição de 20 anos, e de outros jogos que trataram desse problema de forma diferente: Storytelling e AGE. Continuar lendo Quantificando Aparências, Parte 2

Trans In Games – Catherine – Erica Anderson

Você já ouviu falar em transmisoginia?

É quando até o nome da personagem trans do seu videogame favorito é uma “piada” em relação à sua identidade de gênero.

É quando uma mulher trans é tratada como um ser mentiroso e promíscuo cujo único objetivo na vida é “emgayzar” pobres homens héteros.

SPOILERS de Catherine à frente.

Hoje nós vamos falar das pequenas formas veladas de opressão masculina cisgênera, incorporadas na forma de… Continuar lendo Trans In Games – Catherine – Erica Anderson

Quantificando Aparências, Parte 1

Arte por NellielTu

Aspectos sociais de RPGs de mesa costumam ser importantíssimos, mas muitas vezes acabam se tornando mecânicas de segundo plano em frente ao combate.

Poucos são os jogos em que a habilidade de seduzir e a habilidade de diplomacia são duas coisas diferentes com seus próprios méritos. E de qualquer maneira, ambas as habilidades muitas vezes acabam se facilitando graças a aparência física da pessoa em questão.

Entretanto, quando se trata de quantificar essas habilidades na hora de jogar, tudo isso acaba se confundindo com “a personagem é bonita”. E isso é um problema. Continuar lendo Quantificando Aparências, Parte 1

Trans In Games – Dark Souls – Dark Sun Gwyndolin

Lembram quando descobriram a moça trans em Guild Wars 2? Naquele dia eu me deparei com outra personagem que eu não fazia ideia de que era trans, ou de que o jogo ao qual ela pertence tinha isso na sua narrativa.

Então eu pensei… Vamos falar das personagens trans em videogames! Nós somos tão apagades, todos os dias, inclusive nos próprios videogames. E infelizmente personagens fictícias não tem bocas de verdade pra se impor o respeito que merecem graças à transfobia de todo dia. Eu vou falar sobre essas personagens, e de uma forma, por elas. Mesmo que eu diga que a sua narrativa seja transfóbica.

Mas hoje eu quero dar um bom exemplo de representação trans em videogames. E provavelmente o mais complexo de todos.

E cuidado que esse post contém “spoilers” de Dark Souls!

Talvez no futuro eu olhe esse texto e pense: “ele não faz juz à graça do Sol Negro”. Mas farei o meu melhor pra falar sobre a minha querida.. Continuar lendo Trans In Games – Dark Souls – Dark Sun Gwyndolin

Criação de Personagens: Uma Proposta Não-Binária

Arte por carpenoctem.

Hoje ume seguidore da página do Facebook apareceu para fazer umas indagações interessantes sobre como melhor incluir pessoas transgêneras em jogos de videogame.

Mas não em relação a NPCs ou personagens com histórias fechadas, mas sim em avatares.

E eu devo admitir que fiquei surpreendida com o quão simples foi a minha resposta.

Continuar lendo Criação de Personagens: Uma Proposta Não-Binária